bannerrootday

Hacker tenta vender dados a agente secreto do FBI e pode pegar 18 meses



Andrew James Miller, de 24 anos, declarou-se culpado de uma acusação feita pelas autoridades no estado de Massachusetts, nos Estados Unidos, de que ele teria obtido acesso não autorizado a um supercomputador do Departamento de Energia do governo dos Estados Unidos e que estava tentando vender o acesso à máquina por US$ 50 mil (R$ 117 mil). Ele pode pegar até 18 meses de prisão após a sentença, que deve ser publicada em novembro.


O computador a que ele tinha acesso estava localizado no Centro Nacional de Computação Científica para Pesquisa de Energia (National Energy Research Scientific Computing Center).
A invasão ocorreu por meio de uma universidade japonesa, que tinha acesso à máquina. Miller, que usava na web o apelido de "Green", ofereceu o acesso ao supercomputador para um agente secreto do FBI. Os dois conversaram via chat.
O hacker era membro de um grupo chamado de Underground Intelligence Agency (Agência de Inteligência do Submundo). Ele foi preso em junho após Robert Burns, também membro do grupo, ter colaborado com as autoridades.
De acordo com os documentos do processo criminal, o FBI não pagou o valor que o hacker solicitou pelo acesso ao supercomputador.
Mas fez desembolsos por outras informações. Pagou US$ 1 mil (R$ 2,3 mil) para acessar a rede de uma empresa de telecomunicação, mais US$ 1 mil por dados de clientes de uma rede de pizzarias e outros US$ 1,2 mil (R$ 2,8 mil) pelos dados de clientes de um provedor de internet.
Fonte: G1

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CANAL NO TELEGRAM

Aprenda mais sobre segurança da Informação no evento Worksec

SanDisk lança cartão microSD de 400 GB para celulares na MWC 2018