Usar o smartphone por muito tempo pode fazer mal à saúde?

O uso de smartphones está cada vez mais comum: recheados de aplicativos e funções, os dispositivos prendem nossa atenção na hora da conversa, envio de mensagens e compartilhamento nas redes sociais. Mas será que passar tanto tempo nesses aparelhos pode causar algum mal à saúde? Listamos alguns dos problemas causados pelo uso prolongado dos gadgets e algumas providências que podem ser tomadas para evitar os danos.






Vista Cansada
Se você tem dificuldades para enxergar letras pequenas, se cansa ao ler textos longos, ou fica com a visão embaçada facilmente, mesmo que por pouco tempo, você pode estar começando a desenvolver uma "vista cansada". Isso é causado pelo esforço gradual de passar muito tempo lendo em uma tela que emite muita luz: como resultado a capacidade de visão para perto acaba se deteriorando.
Solução:  Infelizmente, não há maneiras para reparar a perda causadas pela Presbiopia (termo médico do dano à visão), mas algumas atitudes podem ser tomadas para minimizar e adiar o problema:
- Evite utilizar o aparelho por muito tempo seguido. Se possível, faça pausas de 20 em 20 minutos.
- Escape de textos com letras muito pequenas, e sempre que possível dê o máximo de zoom nas frases para que elas fiquem "confortáveis" para leitura.
- Evite utilizar o aparelho com pouca iluminação ambiente.
- Configure o brilho da tela do smartphone, adequando-o ao ambiente e à sua boa visibilidade, sem deixá-lo muito claro ou escuro demais.
- Faça exercícios para os olhos, com a indicação de um oftalmologista.
Tendinite e outras lesões por esforço repetitivo
Causada pela repetição de movimentos, a tendinite e outras LER (lesões por esforço repetitivo) causam inflamação de tendões, ocasionando dor e, em certos casos, exigindo tratamento por meio de remédios, fisioterapia e imobilização do membro. No caso de smartphones, os pulsos e dedos são os locais mais atingidos, mas pescoço e costas podem ser afetados por causa do posicionamento "errado" do usuário enquando utiliza o gadget.
Solução: Como as lesões podem ter origens diferentes, é recomendável antes de tudo consultar um médicoNo entanto, algumas medidas básicas podem ser colocadas em prática para ajudar a evitar o problema:
- Evite utilizar o smartphone por muito tempo seguido.
- Faça uma pausa de 10 em 10 minutos de uso. Durante esses intervalos, alongue os pulsos, girando-os de maneira suave e esticando os braços, com os dedos entrelaçados (como se você fosse se espreguiçar).
- Encontre uma posição confortável para utilizar seu aparelho.
Radiação e câncer
Ainda não foi comprovada uma relação incisiva entre o uso de celulares e certos tipo de câncer. No entanto, a Organização Mundial da Saúde classifica o aparelho como “possivelmente cancerígeno”. Isso tudo porque ele emite radiações, como o microondas, por exemplo.
Para medir essa radiação, emprega-se a taxa de absorção específica (SAR, em inglês), e essa medição é realizada para a cabeça e para o resto do corpo. Os valores recomendados são diferentes nos Estados Unidos (1,6 Wats por quilo) e na Europa (2 Wats por quilo) que é o padrão utilizado por aqui.
Solução:  A principal dica de prevenção é utilizar menos os dispositivos, mas outras medidas podem ser tomadas para você se proteger:
- Escolha aparelhos com menos radiação. Os níveis indicados de SAR estão disponíveis para consulta nas informações técnicas do dispositivo.
- Utilize fones de ouvido ou a função viva voz. Quanto mais próximo de sua cabeça o smartphone estiver, mais radiação seu cérebro irá receber.
- Tente não utilizar o dispositivo quando o sinal estiver fraco, porque nessas condições ele emitirá mais radiação para compensar a falta de rede.
- Evite andar com o aparelho próximo ao corpo, deixando-o sempre em mochilas ou bolsas.
Fonte: Tech Tudo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ransomware de origem russa Spora chega ao Brasil e causa estragos

Intel anuncia nova tecnologia de armazenamento

Nintendo Switch já está sendo vendido no Brasil e o preço assusta