bannerrootday

Moto G ou Moto X: qual a melhor novidade da Motorola? Confira o comparativo

Motorola lançou dois novos smartphones em 2013: o Moto G e o Moto X. O primeiro é um pouco mais avançado e o segundo uma versão "econômica". Ambos já estão à venda no Brasil e têm uma série de semelhanças, porém algumas questões podem pesar na hora de escolher entre eles. O TechTudo analisou os dois smartphones para descobrir qual possui o melhor custo-benefício. Afinal, vale a pena gastar mais e comprar um Moto X no lugar de um Moto G?




Desempenho: Moto X
Desenhado para ser um top de linha, o Moto X tem a maior parte das configurações de hardware mais avançadas do que as do Moto G, que é um aparelho intermediário e possui como grande atrativo o menor preço. Porém, para o usuário regular, esta diferença certamente não é tão grande.
O Moto X possui um processador mais avançado, o Motorola X8 (Qualcomm Snapdragon S4 Pro MSM8960), dual-core de 1,7 GHz, com GPU Adreno 320, além de 2 GB de RAM e 16 GB ou 32 GB de memória interna. Já o seu irmão possui um Snapdragon 400 quad-core de 1,2 GHz, 1 GB de RAM e versões com 8 GB ou 16 GB de espaço.


Outro diferencial é nas conectividades. Ambos possuem Wi-Fi e Bluetooth, porém o Moto G não é equipado com suporte ao 4G, somente ao 3G, enquanto o Moto X navega com o LTE. Nenhum deles tem slot para cartão microSD. As baterias são parecidas: 2.200 mAh para o X e 2.070 mAh para o G.
Tela: Moto G
A tela do Moto X é maior, porém tem a mesma resolução do que a do Moto G. A diferença é mínima, mas, mesmo sendo um modelo mais econômico, o G tem a melhor densidade de pixels por polegada, com seus 720 x 1280 pixels em um display de 4,5 polegadas. Já o Moto X tem a mesma quantidade de pixels na tela de 4,7 polegadas.
A diferença é de 329 ppi para 316 ppi a favor do Moto G. O número de cores é o mesmo (16 milhões) e a tecnologia utilizada é diferente: dessa vez com vantagem do Moto X, que é de AMOLED, contra o LCD utilizado no Moto G, justamente para torná-lo mais barato do que seu irmão.


Dimensões: Moto X
O Moto X tem a tela maior, porém o corpo é menor. Ele mede 129,3 x 65,3 x 10,4 mm e pesa 130 g. O Moto G tem 129,9 x 65,9 x 11,6 mm e 143 g. Portanto, não se engane pelas polegadas de tela. O Moto G possui 4,5 e o Moto X tem 4,7 mas isso não significa que o G é menor. Pelo contrário.
Design: Moto G
No design, eles se parecem muito e, se por um lado o Moto X não chegou ao Brasil com todas as opções de personalização dos Estados Unidos, o Moto G oferece uma opção para todos os usuários que querem um telefone colorido: capas traseiras removíveis. Não é a mesma coisa do Moto X americano, mas já é uma ótima alternativa.


Câmeras: Moto X
Para o seu mercado, a câmera do Moto G está de ótimo tamanho, sendo semelhante ou até superior a de aparelhos como o iPhone 4S, que custam até um pouco mais caro do que ele no Brasil. No entanto, obviamente, ainda está um pouco abaixo da qualidade oferecida pelo Moto X. Podemos começar pelo número de megapixels, que é o dobro: 10 no Moto X e 5 no G.
A qualidade de imagem e o número de recursos oferecidos pelo Moto X também dão ao aparelho uma vantagem em comparação com o Moto G, que filma em Full HD com 60 fps (o Moto G vai só com 30 fps). Ambos têm flash LED. Na câmera frontal, nova vitória do Moto X, mas é por pouco: 2 megapixels contra 1,3 megapixels.


Sistema operacional: Empate
Os dois smartphones rodam plataforma Android. O Moto G, lançado depois, sai com uma versão mais recente, a 4.3 (Jelly Bean), enquanto o Moto X chegou às lojas com o 4.2.2 (Jelly Bean). Entretanto, ambos receberão um update para o Android 4.4 (Kit Kat), que chegou neste fim de ano. Por isso, não há diferenças neste quesito.
Preço: Moto G
Neste aspecto, a vantagem de um dos concorrentes é enorme. O Moto G, modelo mais econômico da série, tem preço médio de R$ 649, no Brasil. Já o Moto X custa R$ 1.499. A diferença é de mais de R$ 800. É possível, por exemplo, comprar dois Moto G – e ficar com R$ 200 “de troco” – com o dinheiro investido em um Moto X.


Conclusão:
O Moto G chegou ao Brasil para fazer sucesso entre os consumidores. Preço baixo, hardware de nível intermediário, porém adequado para a grande parcela da população. O smartphone tirar boas fotos, tem conexão com a Internet e faz ligações. Certamente ele, comparado ao Moto X, oferece um melhor custo-benefício.
As diferenças de hardware entre eles são grandes, principalmente no processador e na câmera. Além disso, o Moto X é um pouco mais portátil. No entanto, o valor do X, usando os preços médios de ambos, pode ser mais do que o dobro do G, em torno de aproximadamente R$ 800 a mais. As diferenças não parecem valer isso tudo.
Ambos são opções interessantes em suas faixas de preço, mas se o que você quer, acima de tudo, é economia, vá de Moto G. Se quiser um pouco mais de qualidade no hardware, mesmo com um preço bem mais alto, escolha o Moto X. Porém, se estiver buscando o que há de melhor no mercado, não compre nenhum dos dois.
Existem opções, obviamente mais caras, de aparelhos com especificações bem mais potentes do que o Moto X e o Moto G, à venda no mercado brasileiro. Mas para quem já não quer gastar muito, ambos os modelos da Motorola servirão muito bem. Entre eles, sem dúvida, o melhor custo-benefício é do Moto G: bom, bonito e barato.



Fonte: Tech tudo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CANAL NO TELEGRAM

Aprenda mais sobre segurança da Informação no evento Worksec

SanDisk lança cartão microSD de 400 GB para celulares na MWC 2018