Futuro próximo: pele e olhos podem ser produzidos por impressoras 3D

Assim como muita gente já deve imaginar, transplante de pele não é algo simples, fácil ou agradável. Para começar, o tecido de cada pessoa é diferente e é difícil achar uma doação que combine com o restante do corpo — além disso, o processo é bastante dolorido e sempre há a chance de haver rejeição.
Por conta de tudo isso, pesquisadores da Universidade de Liverpool estão conduzindo um estudo bem interessante: criar “pedaços” de pele com impressoras 3D. Dessa maneira, caso alguém precise de uma orelha, de um nariz ou de mais tecido para um braço queimado, seria possível conseguir o material de modo mais simples do que hoje em dia.






Grandes desafios pelo caminho


Contudo, é claro que este trabalho não é fácil. Afinal de contas, é necessário acertar no pigmento da pele e criar rugas ou veias artificiais para que o sangue passe. Com o objetivo de contornar esses obstáculos, os pesquisadores estão criando um sistema baseado em scanners 3D que trabalham com luzes, de modo que seja possível criar imagens de como a pele do paciente deve ser.
Depois disso, os dados recolhidos devem ser passados para um computador e, posteriormente, enviados para a impressora. No entanto, toda essa tecnologia ainda está em desenvolvimento.

Sim, também há planos para os olhos


Além da pele artificial, há planos para que olhos também sejam feitos através de impressoras 3D. Neste caso, a iniciativa é encabeçada por uma empresa britânica chamada Fripp Design — em parceria com a Manchester Metropolitan University — para criar próteses para quem precisar de um globo ocular.
A intenção é a de substituir próteses feitas de vidro e outros materiais mais convencionais, já que elas podem chegar a custar mais de R$ 5 mil reais. Para isso, eles pretendem contar com um processo de trabalho mais simples, rápido e barato — o que torna produtos desse gênero bem mais acessíveis.
Estes olhos são feitos com uma impressora Spectrum Z-Corp 510 e revestidos com resina. Dessa maneira, eles podem apresentar diferentes colorações e até mesmo veias aparentes, fazendo com que os órgãos artificiais fiquem mais parecidos com os orgânicos — e estes produtos devem chegar ao mercado no ano que vem, custando cerca de R$ 300, sem impostos.


Fonte:  GeekyGadgets

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ransomware de origem russa Spora chega ao Brasil e causa estragos

Intel anuncia nova tecnologia de armazenamento

Nintendo Switch já está sendo vendido no Brasil e o preço assusta