bannerrootday

Edward mãos de baqueta

Jason Barnes era um músico, até o dia em que sofreu um acidente. Uma descarga elétrica destruiu seu braço, pondo fim a sua carreira de baterista. Só que Jason era um baita de um teimoso, e se recusou a aceitar. Ele poderia seguir o exemplo de Rick Allen, baterista de um braço só do Def Lepard, mas preferiu a tecnologia.




Ele criou uma prótese para encaixar uma baqueta no que restou do braço, mas o resultado não foi muito bom. Uma parte essencial da arte da percussão está no pulso. Parecia um beco sem saída, até que entrar um cidadão chamado Gil Weinberg. Ele é apenas o fundador do Centro de Tecnologia Musical da Georgia Tech.
Juntos criaram uma prótese robótica com sensores que detectam sinais neurais no bíceps de Jason, e movimentam a baqueta imitando o movimento do pulso. Mas calma, não é só isso. Como repor o funcionamento original do membro é só o início da tecnologia biônica, foram além: incluíram uma segunda baqueta, que escuta a música sendo tocada, analisa o ritmo e improvisa sozinha. Jason Barnes toca com três baquetas.
Fonte: MeioBit



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuidado com as redes gratuitas nos Jogos Olímpicos de 2016

CANAL NO TELEGRAM

Aprenda mais sobre segurança da Informação no evento Worksec