bannerrootday

Edward mãos de baqueta

Jason Barnes era um músico, até o dia em que sofreu um acidente. Uma descarga elétrica destruiu seu braço, pondo fim a sua carreira de baterista. Só que Jason era um baita de um teimoso, e se recusou a aceitar. Ele poderia seguir o exemplo de Rick Allen, baterista de um braço só do Def Lepard, mas preferiu a tecnologia.




Ele criou uma prótese para encaixar uma baqueta no que restou do braço, mas o resultado não foi muito bom. Uma parte essencial da arte da percussão está no pulso. Parecia um beco sem saída, até que entrar um cidadão chamado Gil Weinberg. Ele é apenas o fundador do Centro de Tecnologia Musical da Georgia Tech.
Juntos criaram uma prótese robótica com sensores que detectam sinais neurais no bíceps de Jason, e movimentam a baqueta imitando o movimento do pulso. Mas calma, não é só isso. Como repor o funcionamento original do membro é só o início da tecnologia biônica, foram além: incluíram uma segunda baqueta, que escuta a música sendo tocada, analisa o ritmo e improvisa sozinha. Jason Barnes toca com três baquetas.
Fonte: MeioBit



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CANAL NO TELEGRAM

Aprenda mais sobre segurança da Informação no evento Worksec

SanDisk lança cartão microSD de 400 GB para celulares na MWC 2018