Design ultrafino do iPhone 6 gera problemas para fabricantes de componentes

O novo design e tamanho adotados pela Apple no iPhone 6 está se mostrando problemático para as fabricantes aliadas à companhia. Segundo o DigiTimes, fornecedores de componentes estão tendo problemas em lidar com a demanda de itens como o chassis e a bateria adotados pela companhia de Cupertino na nova versão do smartphone.

Embora os membros da cadeia de produção do gadget devam se beneficiar com as vendas do dispositivo, ele não deve auxiliar na ampliação de suas margens de lucro. Em grande parte, isso se deve aos investimentos que essas empresas vão ter que fazer em suas linhas de montagem para superar os desafios impostos pela fabricação das novas partes.
Segundo as fontes ouvidas pelo DigiTimes, a Apple espera vender nada menos que 70 milhões de unidades dos diferentes modelos de seu smartphone até o final de 2014 — objetivo que deve ser facilitado pelo lançamento do iPhone 6. O novo gadget deve apresentar uma bateria com somente 2 milímetros de espessura, o que deve se refletir em uma espessura totalmente de 7 milímetros.

Aparelho pode ter câmera fabricada pela Sony

Entre as atualizações que devem fazer sua estreia no iPhone 6 está a presença de uma nova câmera fotográfica com um sensor Sony Exmor de 13 megapixels. O hardware usado deve ser semelhante àquele que vai ser empregado no Xperia Z3, que, segundo rumores, vai contar com um sensor com capacidade de trabalhar com imagens de 20 megapixels.

A expectativa é que a Apple lance duas versões de seu novo smartphone: uma com tela de 4,7 polegadas e outra com um display de 5,5 polegadas. Ambos os dispositivos devem vir acompanhados pelo novo processador A8 de 64 bits, além de contarem com uma versão aprimorada do sensor de digitais introduzido pela companhia em 2013.
Fonte: Tecmundo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ransomware de origem russa Spora chega ao Brasil e causa estragos

Intel anuncia nova tecnologia de armazenamento

Nintendo Switch já está sendo vendido no Brasil e o preço assusta