bannerrootday

Site de buscas chinês Baidu começa a operar sua versão em português

Robin Li fundador do Baidu, fez anúncio em Brasília com a presidente brasileira Dilma Rousseff e o presidente chinês, Xi Jinping




Em visita ao Brasil, Robin Li, fundador do Baidu, maior site de buscas em idioma chinês, apresentou a versão em português do seu site, o br.baidu.com. O serviço, desenvolvido especificamente para o mercado brasileiro, foi lançado nesta quinta-feira, 17 de julho, no Palácio do Planalto, junto com a presidente brasileira Dilma Rousseff e o presidente chinês, Xi Jinping

Robin Li e o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Clélio Campolina, também assinaram um acordo de cooperação entre Baidu e o Ministério. Pelo acordo, num prazo de três anos, o Baidu construirá um centro de pesquisa e desenvolvimento equivalente aos demais da empresa em nível mundial dentro do território brasileiro. Atualmente, o Baidu mantém centros em Shenzhen, Pequim, Xangai, Tóquio, Vale do Silício e Cingapura.

Do encontro, ficou acordado que o Baidu contratará jovens brasileiros que estudam na China e integram o programa “Ciência Sem Fronteiras”, iniciativa do governo federal para melhorar a qualificação de jovens profissionais brasileiros

O centro deve focar seus esforços em desenvolver tecnologias de internet no Brasil, apoiar a formação de talentos profissionais na indústria de internet e aprofundar os intercâmbios tecnológicos nesta área entre Brasil e China.

Robin Li é o único empresário representando a indústria de internet chinesa que acompanha a visita do presidente Xi Jinping ao Brasil. Antes de sua chegada ao Brasil, Robin Li acompanhou o presidente chinês Xi Jinping durante visita à Coreia do Sul. Robin participou do Fórum de Cooperação Econômica e Comercial Sino-coreano, em Seul. Robin foi o único empresário a discursar no encontro.

O fato de Robin, um reconhecido empresário do setor de tecnologia, acompanhar o presidente Xi Jinping nas recentes viagens à Coréia do Sul e Brasil faz parte de um esforço diplomático para demonstrar a nova face inovadora da economia deste país asiático, em contraste com as décadas de 60 e 70, quando a China ainda vivia um período inicial de industrialização e comércio exterior.

À medida que a experiência da China em desenvolvimento de ciência e tecnologia pode servir de inspiração para a indústria do Brasil, toda a atenção que recebeu já o tornou mais do que um empresário simples, mas sim um “embaixador” representando a imagem da China e a sua inovação tecnológica.

Fonte: IDGNOW

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aprenda mais sobre segurança da Informação no evento Worksec

CANAL NO TELEGRAM

SanDisk lança cartão microSD de 400 GB para celulares na MWC 2018