bannerrootday

Tatuagens temporárias transformam suor em fonte para abastecer baterias

Biosensor em forma de tatuagem não definitiva pode converter suor em eletricidade e vir a alimentar bateria de dispositivos móveis. É o que descobriram pesquisadores da Universidade da Califórnia em San Diego. O desenho contém eletrodos entre dois e três milímetros de tamanho, capazes de gerar 4 microwatts, metade da carga de um relógio de pulso.




A energia gerada pela tatuagem temporária depende do suor do usuário. Uma das pessoas que passou pelos testes conseguiu produzir 70 microwatts por centímetro quadrado de pele. Ela foi a que mais suou em testes. A eletricidade é conduzida pelo ácido lático gerado em atividades físicas, presente na transpiração liberada pelos poros.



Inicialmente, a tatuagem foi criada para um diagnóstico médico, para pessoas com altos níveis de ácido lático e que necessitam de tratamento. Uma enzima puxa os elétrons do ácido, tornando-os úteis para baterias de smartphones e gadgets vestíveis. O experimento foi apresentado na Sociedade Americana de Química (American Chemical Society) recentemente. A pesquisa foi guiada por Joseph Wang, doutor em Nanoengenharia da universidade norte-americana.
Os testes foram realizados em 15 voluntários. A tatuagem sai com o tempo, porque é feita apenas de tinta, sem uma intervenção radical no corpo. Futuramente, esse tipo de tecnologia pode estimular pessoas a se exercitarem para recarregar seu celular e outros aparelhos, simultaneamente. Essa alternativa pode tornar a vida mais saudável para o corpo e menos poluente no fornecimento de energia.
Fonte: Tech tudo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aprenda mais sobre segurança da Informação no evento Worksec

CANAL NO TELEGRAM

SanDisk lança cartão microSD de 400 GB para celulares na MWC 2018