Projeto de Lei pretende criminalizar o uso de perfis falsos



Para tentar controlar ações ilegais na internet, tramita um projeto na Câmara dos deputados para punir quem utiliza perfis falsos em redes sociais. O Projeto de Lei 7.758/14 visa criminalizar o uso de falsa identidade na internet.

A proposta do deputado Nelson Marchezan Junior (PSDB-RS) é para modificar o artigo 307 do Código Penal que fala sobre atribuir falsa identidade para obter vantagem, prejudicar, intimidar ou causar danos a outras pessoas, em proveito próprio ou alheio.

A ideia é alterar o texto de maneira que inclua também crimes da mesma natureza que acontecem na internet ou qualquer outro meio eletrônico, especialmente em redes sociais. A pena, detenção, de três meses a um ano, ou multa, não seria alterada.
Tramitação

O Projeto de Lei ainda deve demorar um pouco para ser votado por conta de empecilhos burocráticos do fim da legislatura. Ele será arquivado dia 31 de janeiro, mas o autor foi reeleito e pode desarquivá-lo. Assim que o deputado fizer isso, o PL deve ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania para só então seguir para votação no Plenário.
Internet não é terra de ninguém

A Lei Carolina Dieckmann, nome pelo qual ficou conhecida a Lei de Crimes Cibernéticos (12.737/12), que entrou em vigor no começo de 2013, criminaliza a invasão de computadores ou roubo de senhas e arquivos. A pena prevista é de 3 meses a 1 ano de detenção.

Porém, segundo o deputado, apenas essa lei não é suficiente para qualificar todos os crimes ocorridos na rede mundial de computadores e é necessário complementar a legislação penal, tipificando o uso de falsa identidade.

O Projeto de Lei só visa punir pessoas que usam a identidade falsa para prejudicar outras pessoas, então, se você só usa algum nome engraçadinho no Twitter, provavelmente não tem motivo para se preocupar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ransomware de origem russa Spora chega ao Brasil e causa estragos

Intel anuncia nova tecnologia de armazenamento

Nintendo Switch já está sendo vendido no Brasil e o preço assusta