bannerrootday

Justiça dos EUA manda Apple burlar criptografia do iPhone e ajudar o FBI



A Justiça federal dos Estados Unidos ordenou a Apple a burlar a criptografia do iPhone. Em decisão emitida nesta terça-feira (16), o tribunal determinou que a empresa forneça a investigadores do FBI as informações do celular de um atirador que matou 14 pessoas em dezembro de 2015, após a companhia ter “declinado de colaborar voluntariamente”, segundo a rede de TV NBC.

A decisão judicial fez Tim Cook, presidente-executivo da Apple, se pronunciar. “O governo dos EUA demandou que a Apple tomasse um passo sem precedentes que ameaça a segurança de nossos consumidores. Nós nos opomos a essa ordem, que tem implicações muito além do caso legal”, afirmou em carta publicada na terça.

A Promotoria de Los Angeles quer que a Apple forneça meios de o FBI ter acesso às informações presentes no iPhone de Syed Farook, que, em uma ação junto de sua esposa Tashfeen Malik, matou a tiros 14 pessoas em San Bernardino, na Califórnia, no fim do ano passado.

“Apple tem os meios exclusivos técnicos que ajudariam o governo a concluir a busca, mas se negou a fornecer essa ajuda voluntariamente”, argumentou a promotoria. A entidade quer saber com quem os dois se comunicavam, quem os teria ajudado e por onde andaram antes de executarem o plano.

Apesar de se dizer chocado e ultrajado com o atentado terrorista de San Bernardino, o presidente da Apple diz que a companhia acredita que investir esforços contra sua tecnologia de segurança pode colocar seus sistemas de proteção em risco.

“Toda essa informação precisa ser protegida de hackers e criminosos que querem acessá-la, roubá-la e usá-la sem nosso conhecimento ou permissão. Os clientes esperam que a Apple e outras companhias de tecnologia façam tudo em seu poder para proteger suas informações pessoais, e na Apple nós estamos profundamente comprometidos a salvaguardar os dados deles”, disparou Cook.

“O FBI pode usar diferentes palavras para descrever essa ferramenta, mas não há dúvidas: construir uma versão do iOS que passe pela segurança dessa forma seria inegavelmente criar uma porta dos fundos. E enquanto o governo pode concordar que seu uso seria limitado a esse caso, não há maneira de garantir esse controle.” (Veja a carta completa em inglês aqui)

A Justiça dos EUA deu cinco dias para a Apple dar “assistência técnica razoável” aos investigadores do FBI nas tentativas de destravar o iPhone 5c de Farook. Segundo os promotores, informações na conta iCloud de Farook indicam que ele manteve contato com algumas das vítimas antes dos ataques.

Fonte: G1

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuidado com as redes gratuitas nos Jogos Olímpicos de 2016

CANAL NO TELEGRAM

SanDisk lança cartão microSD de 400 GB para celulares na MWC 2018