bannerrootday

Brasil é o maior alvo de ataques virtuais na América Latina



Em evento realizado em Los Cabos, no México, a empresa de segurança Kaspersky apresentou hoje o panorama do cibercrime na América Latina. E os números são impressionantes: no último ano a região atraiu 398 milhões de malwares, sendo 1 milhão e 100 mil por dia e 12 a cada segundo. "Os criminosos estão trabalhando mais e melhor", alerta Dmitry Bestuzhev, diretor da empresa para a América Latina.

Maior país do continente, o Brasil é, proporcionalmente, o principal alvo dos cibercriminosos. De acordo com dados apresentados, metade da população sofreu ao menos uma ameaça de vírus entre agosto de 2015 e agosto de 2016. O país também está no topo da lista dos golpes via phishing, que costumam chegar por e-mail. Neste caso, 12,3% dos brasileiros foram vítimas no último ano. A Argentina é o local da região menos visado.


A maioria dos ataques (82%) acontece offline por meio de dispositivos conectados ao computador ou através da rede local. Os outros 18% infectam as máquinas a partir do acesso à internet, sendo que 81% dessas ameaças online são caracterizadas por malware - programas que contêm códigos maliciosos - e o restante por meio dos adwares, aplicações potencialmente perigosas que podem aparecer na forma de publicidade como banners.

O e-mail, que tradicionalmente é uma das principais plataformas de iscas para fraudes online, também foi avaliado pela Kaspersky. Segundo as informações divulgadas pela empresa, 57% dos ataques voltados para este canal acontecem na forma de trojans bancários, o famoso cavalo de troia que chega à caixa de mensagens com o objetivo de fazer os usuários clicaram na mensagem para roubar dados relacionados às contas. 

Top 10 das ameaças

A Kaspersky listou as 10 principais ameaças identificadas ao longo do último ano que sejam capazes de invadir as máquinas e corromper arquivos. A relação pode ser vista abaixo.

1. DangerousObjetc.Multi.Generic

2. NetTool.Win64.RPCHook.a

3. Trojan.Win32.Generic

4. TrojanWinLNK.Agent.gen

5. TrojanWinLIK.StartPage.gena

6. Trojan.Script.Generic

7. AdWare.Script.Generic

8. Downloader.Win32.Agent.bxib

9. Worm.VBS.Dinihou.r

10. WebToolbar.JS.AgentBar.e

Como se proteger?

Só o antivírus não é suficiente. Para se sair bem nesta briga de gato e rato que confronta cibercriminosos e as empresas de segurança, é preciso ficar atento ao comportamento online, evitando clicar em links suspeitos e mantendo sistema operacional e navegador atualizados. Com isso, segundo os analistas, você reduz em até 95% as chances de ser atacado por um malware.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aprenda mais sobre segurança da Informação no evento Worksec

CANAL NO TELEGRAM

SanDisk lança cartão microSD de 400 GB para celulares na MWC 2018