bannerrootday

Usuário Android? Cuidado! O malware Chrysaor acaba de ser identificado



Um aplicativo extremamente sofisticado projetado para espionar usuários foi descoberto por pesquisadores de segurança. Chamado Chrysaor, ele é capaz de espionar os usuários através de sua câmera e microfone, além de acessar mensagens, e-mails, detalhes de contato e histórico do navegador. Ou seja: uma total quebra de privacidade.

O Chrysaor, segundo informado, tem atacado apenas smartphones com Android. Anteriormente, o malware foi cotado para atacar iPhones e outros eletrônicos da Apple, mas a marca lançou uma importante atualização de segurança para o iOS e conseguiu barrar a atividade criminosa.

O Google alega ter banido o spyware, que, segundo a empresa, jamais esteve disponível na loja de apps. A gigante tecnológica lamentou a construção do programa:


Alguns desenvolvedores gastam um esforço substancial, tempo e dinheiro para criar e instalar seu aplicativo nocivo em um ou em um número muito pequeno de dispositivos. Isso é conhecido como um ataque direcionado.


A suspeita é que a ameça foi criada pela empresa israelense NSO Group Technologies, responsável pela criação do Pegasus. Até o momento, estima-se que 36 smartphones foram infectados.


Manter o Android atualizado, ter um anti-vírus instalado e evitar clicar em sites e links suspeitos estão entre as dicas básicas para evitar ter os dados roubados por criminosos virtuais. O Google diz ainda é adequado ativar a opção Verificar Aplicativos (Configurações> Google> Segurança> Verificar Aplicativos).

O app Security & Power Booster, da Intel, é uma alternativa disponível aos usuários do sistema operacional do Google. A Intel Security, inclusive, anunciou nos últimos dias a separação com a empresa de segurança McAfee, que agora passará a ser uma empresa independente. O principal argumento dado é que esse desquite será bom para a autonomia e desenvolvimento de sistemas de detecção de ameaças ainda mais moderno, sobretudo por conta da aplicação de tecnologias learning machine. Em 2011, a Intel comprou a firma do polêmico programador John McAfee por US$ 7,6 bilhões.

Fonte: TudoCelular
.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuidado com as redes gratuitas nos Jogos Olímpicos de 2016

CANAL NO TELEGRAM

SanDisk lança cartão microSD de 400 GB para celulares na MWC 2018