bannerrootday

Google decide desativar resultados instantâneos de pesquisas




A Google está acabando com uma característica que, um dia, chamou de revolucionária. A Busca Instantânea, ou Instant Search, já que o termo acabou sendo mais usado lá fora do que no Brasil, está chegando ao fim e os usuários não mais verão a página de pesquisa sendo atualizada automaticamente à medida em que vão digitando na caixa de pesquisa.

É um recurso que, para a empresa, facilitava o trabalho. A companhia afirmou, na época, que muita gente digitava bem devagar ou, então, poderia não saber exatamente quais termos são os ideais para busca. Utilizando o histórico de pesquisas e também seus algoritmos de sugestão, então, o Google era capaz de sugerir resultados que eram carregados automaticamente e iam sendo alterados sempre que as palavras iam sendo digitadas.

A funcionalidade começou a operar em 2010 e foi encarada como uma grande melhoria, principalmente depois que fez com que o total de buscas aumentasse - um crescimento que também poderia ser considerado artificial, devido ao constante carregamento de páginas. Mudanças nos hábitos dos usuários, entretanto, fizeram com que o Instant Search se tornasse cada vez menos relevante.

Essa alteração aconteceu na transição do desktop para o mobile. A cada trimestre, mais e mais usuários realizam pesquisas pelo celular ou tablet - mais de 50% da atual base de usuários do Google -, o que fez com que a companhia mudasse completamente seu foco de atuação. Devido a questões relacionadas a economia de banda, a Busca Instantânea não tem espaço no mundo mobile, já que carregar páginas sem parar não é o ideal.

Sendo assim, a funcionalidade está sendo silenciosamente descontinuada. A partir de agora, ao realizar pesquisas, os usuários verão apenas as sugestões convencionais de busca aparecendo na tela, com os resultados sendo carregados somente quando a tecla Enter for pressionada ou o utilizador clicar em uma das alternativas. O funcionamento é o mesmo da versão móvel do buscador.

De acordo com a Google, apenas informações de relevância em momentos de crise serão carregadas automaticamente - e isso vale também para celulares e tablets. Ao perceber que um usuário está em uma região afetada por uma catástrofe e realizando uma busca relacionada, informações como telefones de emergência, mapas, notícias e pontos de socorro aparecerão automaticamente na tela, economizando tempo em casos onde, justamente, a agilidade é mais necessária do que a economia de internet.

Todas as mudanças já estão em vigor para os usuários do Google no desktop em todo o mundo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuidado com as redes gratuitas nos Jogos Olímpicos de 2016

CANAL NO TELEGRAM

SanDisk lança cartão microSD de 400 GB para celulares na MWC 2018