Vietnã bane uso de Bitcoins no país



O mercado de moedas virtuais começa esta semana com mais um revés na Ásia. O banco nacional do Vietnã anunciou, nesta segunda-feira (30), o banimento completo nos pagamentos usando Bitcoins e qualquer outro tipo de criptodinheiro. A decisão é de efeito imediato e se aplica a todo o país

Com isso, todo e qualquer comerciante ou empresa que aceitar as moedas virtuais como pagamento deve deixar de fazer isso imediatamente ou corre o risco de receber multas de valor equivalente a até US$ 9 mil. A punição vale tanto para companhias que continuarem recebendo Bitcoins quanto para cidadãos que as ofertarem como uma possibilidade.

Entretanto, a nota curta e grossa do banco nacional não cita outros mecanismos relacionados às moedas virtuais, como mineração e armazenamento, o que dá a entender que tais atos continuam legalizados. Não se sabe, também, qual a postura do governo em relação ao câmbio, mas a noção é de que a conversão também está proibida, com os infratores sujeitos às mesmas multas daqueles que as utilizarem para pagamento.

Também ficou incerta a utilização da blockchain, o sistema de verificação e distribuição que garante o funcionamento e validade de Bitcoins e outras moedas do tipo. Nesse caso, a ideia é de que a utilização da tecnologia, em si, não está banida, uma vez que ela também pode servir a diferentes finalidades, desde que não estejam relacionadas a operações de compra e venda.

Pode ter soado como uma surpresa, mas a proibição no Vietnã já era esperada por analistas de mercado depois de ordem semelhante ter sido emitida na China. As duas economias costumam caminhar lado a lado em decisões que tocam o mercado financeiro, com o país asiático passando, atualmente, por uma reforma amplamente inspirada naquela que transformou a China em uma grande fabricante de produtos e componentes para o restante do mundo.

Os investimentos internacionais também aconteceram de forma pesada no mercado de moedas virtuais, mas enquanto o Vietnã não era um grande nome na utilização dos "criptodinheiros", o país se tornou interessante no setor de mineração. O baixo custo de componentes e de mão-de-obra, além de energia, aluguéis e outras questões tornaram a nação interessante para a criação de fazendas de processamento, de forma a gerar dinheiro a partir de grandes máquinas interconectadas. Fica a dúvida, então, sobre o que será feito delas agora, uma vez que o banco nacional não se pronunciou sobre essa questão específica.

Fonte: Canaltech


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ransomware de origem russa Spora chega ao Brasil e causa estragos

Intel anuncia nova tecnologia de armazenamento

Nintendo Switch já está sendo vendido no Brasil e o preço assusta