bannerrootday

Coreia do Norte rebate EUA e diz que não tem ligação com o malware WannaCry



Nesta semana, o governo dos Estados Unidos acusou a Coreia de ser a responsável pela disseminação do malware WannaCry. Agora, veio o troco.

Para os norte-coreanos, Donald Trump não tem prova de que os ataques do WannaCry tenham sido provocados por eles. Em comunicado divulgado na agência de notícias KCNA, o porta-voz do Ministério de Negócios Estrangeiros da Coreia afirmou que "os Estados Unidos acusaram injustamente a Coreia do Norte sem nenhuma prova forense".

A primeira resposta da Coreia à acusação veio em tom definitivo: "Não temos nada a ver com o ataque cibernético e não sentimos necessidade de responder, caso a caso, a acusações absurdas como essas feitas pelos Estados Unidos", disse o porta-voz da Coreia do Norte.

Sem amenizar nas declarações, a Coreia do Norte devolveu as acusações dizendo que os rivais estão tentando criar uma "atmosfera de sanções e pressões", quando afirma que o país é um Estado criminoso.

Pior. O porta-voz não se restringiu a Donald Trump e advertiu também outras nações que seguem "injustificadamente os passos" dos americanos. O recado foi para o Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia, Canadá e Japão, que fizeram coro às acusacões americanas.
Avanço em 150 países

O WannaCry começou a se espalhar em maio atingiu cerca de 300 mil computadores em 150 países.

Segundo investigações do Centro Nacional de Segurança do Reino Unido, o grupo de hackers conhecido como Lazarus, estabelecido na Coreia do Norte, seria o provável nome por trás do malware.

Esse grupo também foi acusado de um ataque cibernético à casa de câmbio de bitcoin Youbit, na Coreia do Sul. A empresa perdeu 17% de seus ativos durante o choque e, como resultado, teve que fechar as portas nesta semana.

Fonte: Canaltech

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CANAL NO TELEGRAM

Aprenda mais sobre segurança da Informação no evento Worksec

SanDisk lança cartão microSD de 400 GB para celulares na MWC 2018