bannerrootday

BNDES recorre à tecnologia do bitcoin para criar própria moeda



O BNDES (Banco nacional do desenvolvimento) terá uma moeda virtual própria para realizar suas operações. Ainda sem nome, a criptomoeda será restrita para o pagamento de fornecedores em projetos apoiados pelo banco. As informações são do jornal O Globo.

O sistema de blockchain desenvolvido em parceria com a alemã KfW permitirá que todo dinheiro desembolsado seja rastreado por meio de um sistema eletrônico. A nova moeda será inaugurada em maio, para apoiar projetos do Fundo Amazônia.

"Seremos o primeiro banco de desenvolvimento a usar a tecnologia blockchain no mundo. A grande vantagem é dar transparência às operações", diz o diretor de Planejamento e Crédito do BNDES, Carlos Alexandre da Costa, que diz também que será possível acompanhar até o segundo nível de pagamento, ou seja, quando um fornecedor subcontrata outro.

Como funciona

Com todos os registros arquivados no blockchain, para todo financiamento aprovado o BNDES vai repassar determinada quantia de moedas virtuais à empresa ou organização que solicitou os recursos. Na sequência, a criptomoeda será usada para contratar fornecedores previamente cadastradas na ferraementa. Com esse processo, os fornecedores poderão converter a moeda virtual em reais.

A diferença para o bitcoin, moeda virutal mais famosa, é que a do BNDES terá lastro e vai corresponder ao valor do repasse ou financiamento, algo não permitido com o bitcoin.


Fonte: IDG Now

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aprenda mais sobre segurança da Informação no evento Worksec

CANAL NO TELEGRAM

SanDisk lança cartão microSD de 400 GB para celulares na MWC 2018